terça-feira, 25 de junho de 2013

Maria sem vergonha

O amor não é flor fina e delicada. O amor não é coisa rara na vida. O amor não precisa ser colhido nos lugares mais inacessíveis. O amor dá como flor de mato, entre tijolo e concreto. O amor a gente pisa toda hora quando anda. O amor não se esconde, ele nasce em qualquer lugar, de todo jeito.
Já se disse tanto do amor, de toda forma e conceito.
Amor não é coisa rara. Está aí em todo lugar. 
O amor é difícil quando vira verbo. E quando assim se transforma, vira coisa de gente. E gente sabe do amor mas, não sabe amar. Pisa nele sem saber, olha sem enxergar, arranca de si para limpar. 
Tenho lá em casa num canto do jardim uma maria sem vergonha toda florida que tá louca pra virar verbo e fazer do amor a possibilidade de amar.

domingo, 23 de junho de 2013

DOR

Por quantas vezes se tem vontade de chorar
E não consegue
Chamam de nó aquilo preso na garganta
Mas, não desata

E fica aquela coisa dentro da gente
E qualquer coisa, a boca se inunda de um mar amargo
No peito, um vazio ecoa e bate um coração perdido
Mas, não se encontra

As mãos ficam escondidas, talvez nos bolsos
Os braços se cruzam
Não sabem mais a distância entre qualquer coisa
E os dedos são extremos de um mundo gelado
Mas, nada esquenta

Da janela dos olhos as cores se apagam
E um brilho estranho se mantém sem alegria
E quando piscam, demoram mais para abrir
Como se o escuro do pequeno tempo fosse tão calmo
Mas, nada ilumina

A terra sustenta os pés largados
Num mundo onde caminhos não tem sentido
E quando se vai por um lugar, não se chega
A lugar algum
Mas, não há para onde ir

E uma tristeza que vai se apossando de tudo
A alma esmagada num canto
Essa espaçosa melancolia
Deixa a mais querida visita
Como um estorvo de espinhos
Mas, a porta está trancada por fora

Por quantas vezes se chora escondido
Sem saber porque chora
E isso que transborda de dentro
E torce o corpo numa erupção de dor
Mas, não interessa

E quando se esvazia de dor
E a alma respira aliviada
Algo ainda é possível
A história continua
Mas, nunca mais como antes.





sábado, 22 de junho de 2013

Das ilusões

Nada muda minha musa.
Só o que é certo
é que na terra
todo mundo
um dia
a
  f
      u
         n
            d
               a
                .
....................

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Geração o que???

Alguém grita por aí
Foda-se!
Na contracultura
Isso é coisa de jovens
Ah... O frescor da juventude.
Por um tempo achei que os jovens estavam perdidos por não terem pelo que brigar, se rebelar. Mas, de repente não cabem mais nos dedos tantas razões para o grito!
Eu, que já não sou jovem, me sinto representado por esta voz que parecia perdida em vídeo games e cervejas e que agora grita por algo muito maior que vinte centavos. Particularmente, não sou muito de dizer isso, mas por alguma razão fiquei com uma vontade louca de dizer: FODA-SE!

Foto:
http://m.facebook.com/profile.php?id=249780145059261&_mn_=11

Eternamente em berço esplêndido?

"Pelo andar da carruagem, parece-me que as coisas não vão bem... Não é novidade alguma dizer que nem os eleitores, tão pouco os eleitos, assim como a justiça brasileira estavam preparados para isso que chamamos de DEMOCRACIA. E o que mais me assustou nos últimos dias foi ver que já há por aí alguns pensando seriamente e apoiando abertamente a intervenção militar nas direções deste país, como em alguns poucos anos atrás. O que está completamente esquecido por debaixo de uma pedra narcísica é que somos um país sul americano, com índices humanos catastróficos, com tradição de malandragem e repressão, alienação política e com uma justiça pobre de princípios e rica em recursos aos mais abastados. Não acham isso preocupante? Lembro de um colega contando sobre sua experiência nos guetos mais afastados de nossos olhares, onde pessoas miseráveis e doentes dizem que não têm nada a perder e que matar é um ato que não faz diferença. E elas estão aí, querendo sua fatia do bolo, e sim, com a cereja!"