quinta-feira, 14 de julho de 2016

Pouso

Frio é solidão que flutua.
E foi como recobrir a pele fria com um abraço generoso e sentir o calor acalmar janelas abertas.
O vento parou.
Quis o silêncio de um café e poucas palavras, só para tirar o amargo de um  resto que o medo deixou.
E teve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário