quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Entre aspas

Não tenho certeza de quase nada
A única que carrego é a da morte
Mas, quanto mais certeza tenho dela
Mais duvido de que estou certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário